terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Calor


Consumido me sinto sob o Sol
A cada inspirar
A cada espirar.

Consumido me sinto sobre a Terra
Procurando minha sombra
Derretida em suor.

Combustível, sinto-me liquefeito
Como se de fato fosse
Uma parte dessa estrela.


Pedro Luiz Da Cas Viegas
Gravataí, 12/02/2014


4 comentários:

  1. Um calor que aumenta ainda mais com essa combustão em versos! Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Inspiradores estes versos e de muito calor e afeto.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde
    Passei pelo teu cantinho para te dar a conhecer o meu modesto espaço de poesia.
    Espero que gostes. Um abraço, Ana Pereira
    http://almainspiradora.blogspot.pt/

    ResponderExcluir